Veja outras formas de visualizar o blog, clicando nas opções a seguir:
Sidebar Magazine Timeslide
AVISO:
O blog Antropologia da Criança apenas divulga eventos e publicações. Procurem nas respectivas postagens o link do evento para fazer sua inscrição, bem como o link da revista para enviar seu texto - a página Contato não serve para isso.


terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Simpósio INFÂNCIA, ADOLESCÊNCIA E JUVENTUDE, VISÕES INTERDISCIPLINARES

Convocatória
Simpósio INFÂNCIA, ADOLESCÊNCIA E JUVENTUDE, VISÕES INTERDISCIPLINARES, que será desenvolvido junto ao II ENCUENTRO DE LAS CIENCIAS HUMANAS Y TECNOLÓGICAS  PARA LA INTEGRACIÓN EN EL CONOSUR, de 2 a 4 de mayo de 2013, na cidade de Bogotá, Colômbia, na Universidad Sergio Arboleda Bogotá – Colombia.

Proposta do Simpósio INFÂNCIA, ADOLESCÊNCIA E JUVENTUDE, VISÕES INTERDISCIPLINARES:
As diferentes formações sociais ao largo da história e também do presente compuseram y compõem inúmeros significados e atributos às suas classificações etárias, nem sempre convergentes. A configuração das classes de idade e suas conseqüências sociais - no modo de produzir, de viver, de dividir o trabalho, de hierarquizar as relações, nas relações de gênero - implicam numa importante variável na organização das diferentes sociedades no tempo. Aí que, em termos atuais, a infância, a adolescência e a juventude, compõem três universos de idade cheios de construção de significados e projetos.
Este simpósio tem o propósito de congregar investigações sobre a América Latina (em especial o Cone Sul) de diferentes campos do conhecimento (história, sociologia, Antropologia, Serviço Social, Direito, Educação, etc.) que problematizem a relação da infância, da adolescência y juventude com a sociedade, seja quanto às representações, projetos políticos, ações sociais, construção de espaços institucionais, construção de saberes e profissões, experiências concretas de vida.
O objetivo do colocar em colaboração matizes de diferentes campos do conhecimento procura proporcionar um diálogo e reflexão interdisciplinar, ao mesmo tempo objetiva estimular o esforço por amenizar as fronteiras disciplinarias e facilitar uma melhor comunicabilidade entre os saberes.

COORDENADORES:
Dr. Eduardo Silveira Netto Nunes: Doctor en Historia Social, Universidade de São Paulo, graduado en Ciencias Juridicas y Sociales, y História. Profesor Unisant'Anna. edunettonunes@hotmail.com
Dr. Javier Sáenz Obregón: Ph.D en Historia y Filosofía de la Educación, Profesor Titular Universidad Nacional de Colombia. javiersaenzx@gmail.com
Dra. Olga Brites: Profesora e Investigadora Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. olgabrites@uol.com.br


NORMAS PARA ENVIO DE RESUMOS:
1- O resumo deverá ter entre 10 a 15 linhas, em espaçamento 1,5; fonte Times New Romam, tamanho 12.
2- Indicação do nome (s) do (s) autor (es), da Instituição de origem, titulação e título do trabalho. O número máximo de autores de cada trabalho será limitado a dois.
3- Os resumos podem ser escritos português ou espanhol.
4- O prazo para envio dos resumos é até 31 de janeiro de 2013.
5- Os resumos para esse simpósio devem ser enviados exclusivamente ao e-mail seguinte:
juventudinfancia@hotmail.com
6- A carta de aceite dos trabalhos aprovados será emitida até 15 de fevereiro de 2013.
7- O pagamento da inscrição dos trabalhos aprovados será efetuado no credenciamento do evento, nos dias do Encuentro, com base nos seguintes valores:
a. Professor universitário (ou outro profissional) com comunicação = 80 US
b. Aluno de Pós-graduação com comunicação = 55 US
c. Aluno de Graduação com comunicação = 35 US
d. Ouvinte = 30 US
8- De acordo com a Organização Geral do II Encuentro, será publicado um CD ROM com os trabalhos apresentados no Evento dentro de 6 meses após o evento.
9- Organização Geral do Encuentro:
Universidad Sergio Arboleda – Bogotá – Colômbia
Coordinadores generales del Encuentro
Andrea Cortés-Boussac PhD, Universidad Sergio Arboleda Bogotá – Colombia (andrea.cortes@usa.edu.co); Carlos Tulio da Silva Medeiros, Instituto Federal Sul-rio-grandense – Brasil (tulio@pelotas.ifsul.edu.br)
10- Otras Informaciones generales del Encuentro:
(convocatoria general)

CFP: Children and Childhoods Conference

Para ver em tamanho maior, clique na imagem.



OBS: Vi no blog do NEIJ

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

3ras Jornadas de estudios sobre la infancia. Políticas públicas, saberes y vida cotidiana en Argentina y Latinoamérica (1880-2010)


3ras Jornadas de estudios sobre la infancia.
Políticas públicas, saberes y vida cotidiana en Argentina y Latinoamérica (1880-2010)
Lugar y Fecha de realización: 1 y 2 de noviembre de 2012, Campus UNGS
Juan María Gutiérrez 1150- Los Polvorines - Bs. As- http://www.ungs.edu.ar/Como llegar
Estas Jornadas se proponen constituir un espacio interdisciplinario para presentar y discutir distintos trabajos de investigación sobre la infancia en Argentina y Latinoamérica. En primer lugar, buscan valorizar un enfoque que reconozca el carácter histórico de la infancia con intenciones de otorgarle densidad a la comprensión de las problemáticas de la actualidad. En segundo lugar, propician un diálogo interdisciplinario que posibilite enriquecer los enfoques teóricos y metodológicos, e intercambiar experiencias y avances de investigación en una clave comparativa.
Programa de Trabajo
Jueves 1 de noviembre de 2012
10.00 a 10:30 hs. Acto de apertura
10:30 a 12.30 hs. Sesión de trabajo. Saberes expertos, tipologías institucionales y nociones de infancia: discursos y representaciones sobre los niños y niñas.
13:30 a 14:30 hs. Panel. Pensar la Infancia desde América Latina. Panelistas: Estela Scheinvar (UERJ-UFF/Brasil), Fernanda Bittencourt Ribeiro (PUC-RS/Brasil), Nara Milanich (Barnard College). Moderadora: Sandra Carli
14.30 a 16.00 hs. Sesión de trabajo. Vida cotidiana: prácticas culturales, infancia y familia.
16.00 a 17.00 hs. Presentación del libro Infancias: políticas y saberes en Argentina y Brasil, siglos XIX y XX (Cosse, LLobet, Villalta y Zapiola, eds., Editorial Teseo, Buenos Aires, 2011) a cargo de Patrice Schuch (UFRGS/Brasil).
17.00 a 18.00 hs. Conferencia: Lynne Haney – New York University
Viernes 2 de noviembre de 2012
9.30 a 12.00 hs. Sesión de trabajo. Estado, tribunales y justicia: interacciones e intervenciones con la infancia y las familias
12.00 a 13.30 hs. Taller de tesis
14.30 a 16.45 hs. Sesión de trabajo. Estado, instituciones y políticas: intervenciones e interacciones con la infancia y sus familias
17.00 a 18.00 hs. Conferencia de Clausura: Claudia Fonseca (UFRGS)
Informes e inscripción: jornadasinfancia2012@gmail.com
Se entregan certificados de asistencia
 Coordinación
Isabella Cosse (Conicet/UBA), Lucía Lionetti (IEHS – UNCPBA), Valeria LLobet (UNSAM/Conicet),
Carla Villalta (UBA/Conicet), María Carolina Zapiola (UNGS).
Comisión Organizadora
Claudia Vargas (asistencia general)
Luciana Díaz (UNICEN), Soledad Viñas (UNGS), Florencia Gentile (UNGS), Soledad Gesteira (UBA), Gabriela Magistris (UNSAM), Marina Medan (UNSAM)
Auspician 
Sección de Antropología Social, Facultad de Filosofía y Letras, Universidad de Buenos Aires – Instituto de Ciencias-, Universidad Nacional de General Sarmiento – Instituto de Estudios Histórico  Sociales "Prof. Juan Carlos Grosso" , Universidad Nacional del Centro - Escuela de Humanidades, Universidad Nacional de San Martín –Programa de Historia, Universidad de San Andrés – Agencia Nacional de Promoción Científica y Tecnológica (ANPCyT).

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Primera infancia y participación en ámbitos culturales: Historia, experiencias y desafíos


XVI Cátedra de Historia “Ernesto Restrepo Tirado”
Primera infancia y participación en ámbitos culturales:
Historia, experiencias y desafíos

Del 4 al 6 de octubre de 2012
Museo Nacional de Colombia y Biblioteca Luis Ángel Arango

domingo, 16 de setembro de 2012

GT 01 - Antropologia da Criança: pesquisas em andamento em um campo em construção​​


II Semana de Antropologia do PPGA/UFPB
Ética Antropológica em Debate

João Pessoa - 27 a 30 de novembro de 2012


GT 01 - Antropologia da Criança: pesquisas em andamento em um campo em construção
Coordenadoras: Flávia F. Pires (UFPB) / Patrícia Oliveira (UFPB)
Email para envio de propostas: patriciaoss1288@yahoo.com.br
Descrição:
A Antropologia enquanto campo do saber é muitas vezes acusada de negligenciar, desde sua criação no século XIX, certos aspectos da realidade social, entre eles o estudo sobre a condição social da criança como categoria de análise. Após vários esforços para reparar, no início do século XX, tais insuficiências da disciplina, o que se convencionaria chamar de Antropologia da Criança continuou, de certo modo, sendo considerada um tema de importância marginal. Contudo, a partir da segunda metade do século XX, é notável uma crescente valorização dos estudos sobre a infância como um tema central na construção de um novo paradigma que visa compreender a natureza histórica e cultural da criança, tratando-a como agente e sujeito. Por isso, este grupo de trabalho tem como objetivo promover um debate fecundo sobre o universo das crianças e do fenômeno social da infância sob a ótica da antropologia, a partir de estudos em andamento, tanto teóricos quanto de natureza empírica, a fim de, por um lado, fomentar a interação entre alunos, professores, pesquisadores e demais interessados e, por outro, contribuir para uma maior visibilidade deste campo de estudo no estado da Paraíba.


*DATA LIMITE* PARA ENVIO DE RESUMOS PARA GT: 14/10/2012.
Maiores informações no site: http://semanadeantropologia.wix.com



sexta-feira, 7 de setembro de 2012

"Jugar y Educar. Un estudio antropológico"


Workshop
"Jugar y Educar. Un estudio antropológico"

a cargo del prof.
Dr. Jose Luis Ramos Ramiez
Escuela Nacional de Antropología e Historia, México.


20 de Septiembre, 18.00 Hs.
Sala 20
Instituto de Investigaciones Gino Germani
Uriburu 950 Piso 6 (C1055AAD) CABA Argentina
TE: +54 (11) 4508-3815

Actividad no arancelada
Requiere inscripción previa a:
Se entregaran certificados de participación.

terça-feira, 28 de agosto de 2012

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

CFP: The child’s room as a cultural microcosm

Call for papers
International conference
The child’s room as a cultural microcosm
Space, Consumption and Pedagogy

National Museum of Education, Rouen, France, 8 – 10 April 2013

Organisers : National Museum of Education/CNDP, University of Paris 13 (EXPERICE), University of Poitiers (CEREGE)
With the support of the ANR, research programme « Children’s possessions at home »

Scientific committee
Gilles Brougère (University of Paris Nord)
David Buckingham (Loughborough University, GB)
Dan Cook (Rutgers University, USA)
Inès de la Ville (University of Poitiers)
Yves Gaulupeau (National Museum of Education/CNDP)
Michel Manson (University of Paris Nord)
Roger Perrinjaquet (École nationale supérieure d’architecture de Paris - La Villette)
Michelle Perrot (University Paris 7- Denis Diderot)
Annie Renonciat (ENS Lyon, National Museum of Education/CNDP)

Summary: ‘The child’s room as a cultural microcosm’ aims at gathering knowledge on the subject of children’s domestic material culture and stimulating the development of research along three main axes. These axes were chosen to have a better understanding of the child’s room in its history as well as in the contemporary world, in its materiality as well as in its representations. The first axis will examine the child’s room from an architectural-spatial point of view, as well as a well-defined space within the house specifically intended for the child. It may be characterized by technical specificities (shape, volume, etc.) as well as cultural ones. The second axis will investigate the child’s room as a privileged place for his or her belongings. The idea will be to focus on children’s consumption and material culture, examining how objects actually belong to a child in a child’s room. Finally, the last axis comprehends the child’s room as an educational place that sits at the intersection of both pedagogical and recreational uses and, as such, of both adults’ and children’s points of view. The organisation of this room thus may contribute, in turn, to the education of taste, to an aesthetic education or to the education to consumption.
Key words: child’s room, domestic space, material culture, children’s culture, children’s consumption, childhood objects, cultural representation of childhood, education.

In the 19th century, the child’s room was conceptualised by french authors as a ‘place for hygiene and prudence’, a perimeter protected from the dangers of the house and from those of the street, a women’s ‘sanctuary’ (Fonssagrives 1871) as well as a ‘nest of souls’ (Hugo 1859) and an instrument for the education to social, moral and aesthetic values (Renonciat 1989, 2005). Today, the child’s room is a reality shared by boys and girls in the Western world : a place to rest and work, a place of either real or virtual games, a ‘refuge for intimacy’ (Ranum 1986), an open window on the world (be it discovered or fantasized), a learning center for autonomy, a developer of identity. As it was the case in the past, the contemporary child’s room turns out to be a complex reality which, although it has aroused researchers’ interest in various fields for over half a century, still remains an unexplored territory, especially in France.
The organisers of the conference ‘The child’s room as a cultural microcosm’ wish to study the state of knowledge on the subject and to stimulate the development of research along three main axes : these axes were chosen to provide a better understanding of the child’s room in its history and the contemporary world, through its materiality as well as through the representations which contribute to defining it as a material, social, aesthetic and cultural place.

1. A space within the house
The first axis will investigate the child’s room from an architectura-spatial point of view, as a well-delimited space belonging to the child within the house and defined by location, shape, area, volume, orientation, communication. These various specificities, for all their technicalities, still depend on cultural criteria and representations to define the space as a child’s space (Perrinjaquet 1979, 1982). Various specialists have studied this private territory in Great Britain (King-Hall 1958) and Germany (Weber-Kellermann 1979, 1991), have linked its appearance to the mutations of housing in industrial societies in Northern Europe (Robertson 1974, C. Hall 1987, Perrot 1987, Guerrand 1987, Eleb-Vidal and Debarre-Blanchard 1989), among other things. Yet, we ask, have the new prospects opened by these pioneers been followed ? What is the place of a child’s room today ? What is its place in the work of the great architects of the 20th century, in the post-WW2 reconstruction effort, in all the suburbs built in the 60s? What are its contemporary features?

2. A privileged place for the child’s belongings
As it was related to the evolution of mentalities and ways of living, the emergence of the child’s room in the 19th century emerged alongside the rise of consumption in industrial societies. The child’s own room became a place to control children as well as a container where they could store, play with and attend to the increasing number of things specially made for their use and consumption : furniture, books, pictures, toys, clothes. A good deal of historical research exists on these cultural objects belonging to childhood for Great Britain (Miall 1980, White 1984), Italy (Nogare and Finocchi 1982), the United States (Calvert 1992 ; Cross 1999). In France, studies look mainly at books (there are too many to be mentioned here) and at toys (Manson 2001). The history of children’s furniture and functionnal objects is to be written in our country, requiring the use of monographs and comprehensive studies which would be likely to comprehend production and customs in their historical, social and cultural dimension.
In the United States, the power of the cultural industry has led researchers to wonder about the relationships between children and their belongings in rooms that were created as spaces of individual consumption of the products they are being offered. Facing the development of adolescent culture (James 2001, Baker 2004), the very notion of ‘room culture’ has developed (Brown, Dyckers, Steele and White 1994, 1995, Livingstone 2002) and extended to pre-adolescence in France (Glevarec 2010). It requires the analysis of the way youngsters work and play with a variety of available symbols and cultural artefacts, in an interactive process of elaboration of their identity (Ang et Hermès 1991) – the ‘cultural tool kit’ of global society (Swidler 1986). From this angle, the room is now perceived as a cultural microcosm, a place laden with tension, confrontation, negotiation, a place of compromises between adults and children, between the media and individuals. Today, it is important to look at what is happening in France, especially with the youngest ones, to study their relationship to material culture and the way their culture belongs to the domestic space, and also to grasp the different strategies of independence, of autonomy or, on the contrary, of parental guidance.
The various objects which are aimed at children and which are meant to be kept and used in the child’s room (toys, games, books, stationery, technical objects, sweets, clothes, etc.) will also be of interest in the research on children’s belongings. How are these belongings conceived, produced, distributed and consumed? How do they fit into a mass culture which allows the circulation of characters and worlds through various media (Brougère 2003, 2008; De La Ville et Durup 2008)? The mercantile aspect shall also be analysed, not only as a way of presenting consumer-children with what they can buy, but also as a way of ‘portraying’ the latter, as a part of the very process of conception of these products.

3. An educational world
In the Western world, the child benefits from a room that is dedicated to him or herself, a privileged place for the concentration of the objects of children’s material culture in the house, but also a place of identity construction and learning. The room may also be used, if not in an educational purpose, as a way of enhancing education. It is not different from the typical objects used at school to transmit knowledge : school material (schoolbags, pencil cases, books, etc.), furniture (desk, bookcase), holiday homework books, educational games, etc., even if these objects have to be confronted with mass culture references such as a Dora the Explorer pencil case or a Pokemon schoolbag. The room then appears as a place where different things can meet, oppose or be integrated : children’s leisure and school prescriptions but also children’s desires and parents’ expectations.
In this respect, decoration in the child’s room seems an interesting subject for research, where the tastes and aesthetic values of adults meet the supposed or real preferences of the child. As early as at the end of the 19th century, the discovery of the effects of the child’s material and visual environment on his or her mental and intellectual development led educators, parents, educationalists and creators to pay attention to the aesthetic quality of his or her environment, without failing to use educational resources, in a room that is sometimes perceived as a book with giant pages (Renonciat 2006). Pictures, wallpapers, fabric, furniture then appeared, promptly switching from traditional creation with artistic ambitions to an industrial production which turns out to be huge today. This field of investigation opens vast prospects and lies between art and education, art and industry. Still, to start with, these prospects require the close analysis of a production that has partly disappeared, being the victim of the ill-treatment of its recipients or the victim of its illegitimacy, both artistic and cultural.
What can be said today about the relationship between the room, the objects that it contains and the education of children? Are some objects conceived, created and used as tools for aesthetic education ? It shall also be interesting to study the role of the design of children’s objects as a way of educating their taste. The question of the education to consumption is also one of the dimensions of the encounter between the room, children’s objects originating from mercantile and non-mercantile backgrounds and also adults’instructional design. Hosting a specific activity, the room is the product as much as the producer of social and semiotic mediations which make it possible for children to participate in multiple activities of consumption (De La Ville et Tartas 2011). Thanks to the use of cultural tools, children are being shown how to give meaning to their own consumption habits and how to make them change.
The paper proposals will have to be related to one of the three axes (architectural, material or educational) and if they are not, it will have to be clearly justified. Yet, these questions can be addressed from multiple angles: representations of the child’s room (in literature, in films, in arts, etc.), historical, anthropological, sociological, psychological dimensions, as well as questions of gender, etc.
The proposals, either in English or in French, should be sent to the following address by 30 November 2012: annie.renonciat@cndp.fr
They will have to be a Word document of no more than one page (Times New Roman 12, single spaced), including the following :
- Title of the paper
- Author
- Institutional belonging
- Personal details : address, country of residence, phone number, e-mail address
- A summary of approximately 400 to 500 words, which shall contain the object of the paper, the methodology which was used, the corpus or the data which were analysed and the results.
Notification of acceptance : 1st February 2013
Authors will have to send their written papers by 30th April 2013, for publication of the proceedings.

Fees : 130€ (including coffee breaks, three lunches and one night banquet)
About the National Museum of Education: www.cndp.fr/musee
About Rouen: www.rouentourisme.com

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Seminário "Crianças Invisíveis"

Clique na imagem para visitar o site do evento (Site: Criança não é de Rua).

segunda-feira, 16 de julho de 2012

Cultura Visual, Escola e Cotidiano

Para ver em tamanho maior, clique na imagem.
Para mais informações, visite:

sábado, 14 de julho de 2012

SEMIEDU 2012 - Programação

SEMIEDU 2012
Seminário Educação 2012
4 à 7 de novembro
UFMT - campus Cuiabá

Programação:

04/11:
17h às 19h - Credenciamento
19h20min - Solenidade de Abertura
20h - Conferência de abertura:
Metodologias de pesquisa com crianças
Profª. Drª. Manuela Ferreira - Universidade do Porto – Portugal

05, 06 e 07/11:
Programação por eixos:
Eixo 1: Criança Indígena: os tempos e os espaços da educação da criança nas sociedades indígenas
Coordenação: Beleni Salete Grando (COEDUC/UNEMAT-UFMT/PROCAD Amazônia-PPGEdu UNEMAT-PPGEUFSC)
Eixo 2: A construção social das infâncias: os discursos sobre, para e das crianças
Coordenação: Marlene Gonçalves (Faculdade de Pedagogia/UFMT) e Márcia dos Santos Ferreira (GEM/UFMT)
Eixo 3: Educação Infantil: educação de bebês, dimensão espacial e perspectiva inclusiva 
Coordenação: Sandra Pavoeiro (Faculdade de Psicologia/UFMT) e Sandra Lorenzini (Faculdade de Pedagogia /NEAD/UFMT)
Eixo 4: Saúde, doença e escolarização na infância
Coordenação: Tatiane Lebre Dias (Faculdade de Psicologia/UFMT), Jane Teresinha D. Cotrin (Faculdade de Psicologia/UFMT) e Rosa Lúcia Rocha Ribeiro (Faculdade de Enfermagem/UFMT)
Eixo 5: Cultura lúdica na infância
Coordenação: Cleomar Ferreira Gomes (GPECOL/UFMT) e Dolores Galindo (TECC/ECCO/Faculdade de Psicologia)
Eixo 6: Políticas educacionais e currículo no diálogo com a infância
Coordenação: Tânia Maria Lima Beraldo (PPGE/UFMT) e Rute Cristina Domingos da Palma (GRUEPEM/UFMT)
Eixo 7: Criança e Direitos Humanos
Coordenação: Luiz Augusto Passos (GPMSE/GEMPO/UFMT), Maria da Anunciação P. Barros Neta (GPMSE/GEMPO/UFMT) e Rosa Lúcia Rocha Ribeiro (C. Enfermagem/UFMT)
Veja a programação detalhada por eixos temáticos, clicando aqui.

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Congreso Internacional de Etnografía y Educación

CIEYE Madrid 2013: Contextos múltiples de socialización y aprendizaje

Hasta el 3 de diciembre de 2012 está abierto el plazo para presentar propuestas de participación en el congreso en forma de resúmenes o abstracts con una extensión entre 500 y 700 palabras.

Simposia:
- Etnografía de la socialización en familias
Coordinación: María Fernanda Moscoso
- Educación y Género
Coordinación: Luis Puche  y Laura Alamillo
- Actividad artística y educación: usos y prácticas
Coordinación: Rosa Alvarado
- Producción y reproducción de las élites
Coordinación: Laura Alamillo y Alejandro Paniagua
- ¿Qué tiene que decir la Etnografía sobre el abandono escolar?
Coordinación: Carmen Osuna Nevado y Margarita del Olmo
- Estudio etnográfico de las políticas públicas en contextos educativos
Coordinación: Maribel Jociles y Carlos Peláez 
- Etnografías de la educación y conceptos de educación
Coordinación: Ángel Díaz de Rada
- El tiempo como categoría etnográfica en los procesos educativos
Coordinación: Adela Franzé
- Educación y Edades
Coordinación: Chiara Cerri y Tomás Sánchez Criado
- Making of… Construcciones etnográficas de la educación
Coordinación: Héctor Cárcamo
- Gestión del acceso al campo y devolución de los resultados
Coordinación: Carmen Osuna Nevado y Patricia Mata
- Etnografía de la escuela y la interseccionalidad
Coordinación: Pilar Cucalón Tirado
- Aprendizaje de la ciudadanía y la participación
Coordinación: Patricia Mata, Inés Gil Jaurena y Belén Ballesteros
- Discurso en las prácticas educativas
Coordinación: Isabel García Parejo
- La etnografía de la educación desde diferentes marcos disciplinares
Coordinación: Caridad Hernández

Más información: http://cieye.wordpress.com/

quinta-feira, 14 de junho de 2012

Bibliografia Atualizada

ABRAMOWICS, Anete; OLIVEIRA, Fabiana de. A Sociologia da Infância no Brasil: uma área em construção. Educação, Santa Maria, v.35, n.1, p.39-52, jan./abr.2010.

ALVARES, Myriam M. Kitoko Maxakali: a criança indígena e os  processos de formação, aprendizagem e escolarização. Revista ANTHROPOLÓGICAS, ano 8, volume 15(1): 49-78 (2004).

DAUSTER, Tania. "Entre a antropologia e a educação" - a produção de um diálogo imprescindível e de um conhecimento híbrido. ILHA - Florianópolis, v.6, n.1 e n.2, julho de 2004, p. 197-207.

DELALANDE, Julie. O ratinho, ou as aventuras de um ritual infantil. Momento, Rio Grande, 18: 71-88, 2006/2007.

DELALANDE, Julie; SIMON, Claire. Crianças roteiristas, crianças atores sociais: encontro de dois olhares no recreio. Momento, Rio Grande, 19(1): 15-30, 2010.

DELGADO, Ana C.C; MARCHI, Rita de C. La Petite Souris: Reflexões em torno de uma socioantropologia da infância. Momento, Rio Grande, 18: 89-98, 2006/2007.

GOBBI, Marcia. Desenhos e fotografias: marcas sociais de infâncias. Educar em Revista, Curitiba, Brasil, n.43, p.135-147, jan./mar. 2012.

GRUBITS, Sonia. A casa: cultura e sociedade na expressão do desenho infantil. Psicologia em Estudo, Maringá, v.8, num. esp., p.97-105, 2003.

JAMES, Allison; CHRISTENSEN, Pia (Org.). Investigação com Crianças. Perspectivas e Práticas. Porto: Ecliliber Editora de Publicações, 2005.

JESUS, Suzana C.de. Brincadeiras de crianças Mbyá-Guarani no urbano: reflexões acerca da Antropologia e da Psicologia da Educação. Educação, Santa Maria, v.35, n.1, p.111-124, jan./abr.2010.

LEWIS, Liana. É hora de brincar! Mas em qual língua, se somos todos estrangeiros? Negociando lugares na pesquisa com crianças refugiadas na Inglaterra. ILHA - Florianópolis, v.8, n.1 e n.2, 2006.

MADEIRA, Rosa. A possibilidade de uma Cidadania da Infância redescoberta nas entrelinhas dos textos de Política Internacional: a propósito do Projeto a Infância e sua Educação - 1997-2003. Revista eletrônica Zero-a-Seis, nº 25 – jan./jun.2012.

MARTINS FILHO, Altino J. Olhares investigativos sobre as crianças: o brincar e a produção das culturas infantis. Momento, Rio Grande, 19(1): 89-104, 2010.

MARTINS FILHO, Altino J.; PRADO, Patrícia D. (Org.) Das pesquisas com crianças à complexidade da infância. Campinas, SP: Autores Associados, 2011.

MELLO, Suely A. Relações entre adultos e crianças na contemporaneidade: o que estamos fazendo com nossas crianças? Momento, Rio Grande, 19(1): 77-88, 2010.

MONTEIRO, Adriana T.M.; CARVALHO, Levindo D. "As coisas que não têm nome são as mais pronunciadas por crianças": culturas infantis e produção simbólica. ATOS DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO, v.6, n.3, set./dez.2011.

NUNES, Luciana B. As imagens que invadem as salas de aula: produzindo gênero! La Salle - Revista de Educação, Ciência e Cultura, v.14, n.1, jan./jun.2009.

QUINTAS, Georgia de Andrade. Sob o Signo da Infância: o retrato fotográfico e seus sentidos simbólicos sobre a aristocracia açucareira em Pernambuco do século XIX. Revista ANTHROPOLÓGICAS, ano 13, vol.20(1+2): 97-120 (2009).

ROMANELLI, Geraldo. O significado da alimentação na família: uma visão antropológica. Medicina, Ribeirão Preto, 39(3): 333-9, jul./set. 2006.

SARMENTO, Manuel J. A reinvenção do ofício de criança e de aluno. ATOS DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO, v.6, n.3, p.562-571, set./dez.2011.


SARMENTO, Manuel J. Conhecer a infância: os desenhos das crianças como produções simbólicas. In: MARTINS FILHO, Altino J.; PRADO, Patrícia D. (Org.) Das pesquisas com crianças à complexidade da infância. Campinas, SP: Autores Associados, 2011.

SCHEFFER, Natacha. A gente vai brincar hoje?! Dimensões do brincar nos processos de aprendizagem. La Salle - Revista de Educação, Ciência e Cultura, v.15, n.2, jul./dez.2010.

SIROTA, Régine. Entrevista. Da Sociologia da Educação à Sociologia da Infância. ATOS DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO, v.6, n.3, p.562-571, set./dez.2011.


SIMÃO, Márcia Buss; ROCHA, Eloísa A.C. Crianças, Infâncias, Educação e Corpo. Nuances: estudos sobre Educação, Presidente Prudente, SP, ano XIII, v.14, n.15, p.185-204, jan./dez.2007.

TASSINARI, Antonella I. O que as crianças têm a ensinar a seus professores? Antropologia em Primeira Mão, UFSC, 2011.

WARDE, Mirian J. Repensando os estudos sociais de história da infância no Brasil. PERSPECTIVA, Florianópolis, v.25, n.1, 21-39, jan./jun.2007.

WALSH, Daniel J.; GRAUE, M. Elizabeth. Investigação etnográfica com crianças: teorias, métodos e ética. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2003.


Visite a página Bibliografia, clicando aqui.

quarta-feira, 6 de junho de 2012

Etnografia e educação: culturas escolares, formação e sociabilidades infantis e juvenis

Etnografia e educação:
culturas escolares, formação e sociabilidades infantis e juvenis

Tania Dauster.(org.)
Sandra Pereira Tosta.(org.)
Gilmar Rocha.(org.)

 
Editora Lamparina, 2012

É sabido que a educação, como campo disciplinar, apropria-se de outros saberes, tais como filosofia, psicologia e história, para investigar suas práticas e construir investigações e caminhos políticos. A entrada da antropologia no campo da educação em tempos recentes tem permitido uma ampliação de sentidos na medida em que as relações sociais na escola, as culturas escolares, os processos de transmissão de saberes no cotidiano, a formação de docentes e as sociabilidades infantis e juvenis atravessam as fronteiras dos espaços e das práticas educativas formais e não formais. Com isso, queremos sinalizar que outras formas de conceber e praticar a educação passam a constituir os currículos da formação de profissionais que atuam nessas áreas. 
Este livro reúne artigos de pesquisadores de instituições nacionais e estrangeiras, que atuam nos campos da antropologia e da educação, sendo eles: Alexandre Barbosa Pereira, Anderson Tibau, Gilberto Velho, Gilmar Rocha, Lucelena Ferreira, Márcia Lúcia Anacleto de Souza, Neusa Maria Mendes de Gusmão, Pollyana Alves, Raúl Iturra, Ricardo Vieira, Sandra Pereira Tosta e Tania Dauster. 

Sumário:
Antropologia e educação: “diálogo e perspectivas” - Gilberto Velho
Introdução - Tania Dauster, Sandra Pereira Tosta e Gilmar Rocha
A epistemologia da infância: ensaio de antropologia da educação - Raúl Iturra
Aprendendo com o outro: Margaret Mead e o papel da educação na organização da culturaGilmar Rocha
Escrever: formação e identidade num universo de escritorasTania Dauster 
Educação quilombola: entre saberes e lutas - Neusa Maria Mendes de Gusmão e Márcia Lúcia Anacleto de Souza 
Sinal fechado: representações e práticas de leitura de alunos do ensino médio de uma escola pública carioca - Lucelena Ferreira 
Do lar à escola: a hegemonia das práticas escolares e a antropologia da educação em Portugal - Ricardo Vieira 
Pelos mares da baía da Ilha Grande - Anderson Tibau
Jovens e rituais escolares - Alexandre Barbosa Pereira
Cultura e cor na escola: uma etnografia com adolescentes negros de elite - Sandra Pereira Tosta e Pollyana Alves


Mais informações:
Link da editora: www.lamparina.com.br

sexta-feira, 1 de junho de 2012

Call For Abstracts: Children and Childhoods in Latin America

Call For Abstracts:
Proposed Special Issue on Children and Childhoods in Latin America
 
Childhood’s Today (ISSN1753-0849)
 
 
Much of the theorizing and methodological development of the interdisciplinary field of Childhood Studies has been primarily developed within the Global North. Whether the concepts of agency, participation and rights as understood by Northern academics are useful to comprehend the lives of children in the Global South is yet to be investigated. In this sense it is important to not only question the specific constraints and potentialities that southern children face, but also address the similarities between their childhood experiences and those of their counterparts in the Global North. To say that children and childhood changes over time and context, is rather obvious. But how these changes effect children’s childhoods is still worth enquiring, especially from a Latin American perspective.
 
Therefore, the editors of this special issue of Childhood’s Today are looking for papers that will enable us to assess how research on Latin American childhoods and children can contribute to, and challenge, the field of Childhood Studies. This special issue will consider articles focusing on, but not exclusively, how State interventions affects children’s lives; children’s work or child labour; children’s rights; theoretical, ethical and methodological issues on researching with children; ethnographical accounts of children’s lives, including how religion, ethnic, economics and politics shape childhoods.
 
The editors of this proposed special issue of Childhood’s Today are Dr. Flávia Pires, Professora Adjunta at the Universidade Federal da Paraíba (Brazil) and Visiting Researcher at the Centre for the Study of Childhood and Youth (CSCY), the University of Sheffield (UK) & Christiane Falcão, PhD candidate in Social Anthropology from University of St. Andrews, MA. in Anthropology from Universidade Federal de Pernambuco (Brazil) and MA. in Social and Cultural Anthropology from Vrije Universiteit (The Netherlands).
 
Please submit abstracts of between 300 and 500 words to both Flávia Pires (ffp23279@gmail.com) and to Christiane Falcão (cf45@st-andrews.ac.uk) by July 31st, 2012. Abstracts and articles must be submitted in English.
 
As Childhoods Today seeks to provide an international forum designed exclusively for the publication of articles by postgraduate students (i.e. those studying for the MA, M.Phil. or PhD), as well as those who have recently completed their PhDs in the field of Childhood Studies, only postgraduate taught and research students and those who have been awarded their PhDs in the past one year will be eligible to submit to this special issue. We particularly welcome contributions from students from the southern countries.

segunda-feira, 14 de maio de 2012

III Encontro Internacional de Ciências Sociais: crise e emergência de novas dinâmicas sociais

Universidade Federal de Pelotas – UFPel
Instituto de Sociologia e Política – ISP

Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais - PPGCS

Pelotas - RS - Brasil
8 a 11 de outubro de 2012 

III Encontro Internacional de Ciências Sociais:
crise e emergência de novas dinâmicas sociais

O objetivo do III Encontro Internacional de Ciências Sociais é o de promover e aprofundar o debate sobre as mais recentes crises e transformações das sociedades contemporâneas. Nesse quadro, leva-se em consideração a interpenetração entre as realidades configuradas pela lógica do Estado-nação e as dinâmicas sociais instauradas pelas diversas mobilidades de pessoas, objetos, imagens e informações promovidas pela sociedade global. Para tanto, busca-se disseminar e fomentar a troca de conhecimentos que contribuam para a construção, ressignificação ou mesmo reiteração de categorias conceituais que façam frente à complexidade dos desdobramentos sociais produzidos por esses deslocamentos. As relações sociais, políticas, econômicas e culturais construídas na e pela dinâmica local/nacional/global intensificam as interdependências entre essas dimensões. Além disso, evidenciam as limitações de velhos referentes cognitivos que foram pensados e desenvolvidos a partir dos limites apresentados pela formação e reprodução das sociedades nacionais. A tarefa à qual as Ciências Sociais se veem, hoje, obrigadas é a de desenvolver referentes cognitivos que possam lidar teórica e empiricamente com a compreensão dos sentidos do movimento pendular entre instabilidades e estabilidades, produzidas pelas novas dinâmicas sociais. Estes são alguns dos elementos centrais que o III Encontro Internacional de Ciências Sociais – EICS, na sua presente edição, propõe ao público acadêmico nacional e internacional. 


Período de submissão para proposta de Grupos de Trabalho: 11/05 a 11/06
Informações: GTs
Período de submissão de resumos: 13/06 a 23/07/12
Período para envio do trabalho completo: 10/09/2012
Informações: Normas


segunda-feira, 23 de abril de 2012

III Seminário de Grupos de Pesquisa sobre Crianças e Infâncias

III Seminário de Grupos de Pesquisa sobre crianças e infâncias: Políticas e desafios na produção da pesquisa


22 a 24 de agosto de 2012 - Aracaju [SE]


O GRUPECI, Seminário de Grupos de Pesquisa sobre Crianças e Infâncias, tem por objetivo promover e ampliar o diálogo entre as diferentes áreas de conhecimento que têm como temática os estudos das crianças e suas infâncias. É um evento que se caracteriza pela interlocução entre grupos de pesquisa e pela apresentação de trabalhos de forma articulada no interior dos grupos. Nossa temática no encontro de 2012 será: políticas e desafios na produção da pesquisa.

EIXOS TEMÁTICOS:
1. Concepções de Infância
Contempla os campos de conhecimento acadêmico voltados para a reflexão sobre os paradigmas contemporâneos sobre a infância, tais como: Sociologia da Infância, Antropologia da Infância, Geografia da Infância, Filosofia da Infância, História da Infância, Psicologia do Desenvolvimento e outras.
2. Infância e Tecnologias
Abrange pesquisas e reflexões sobre as duas dimensões pedagógicas das TICs. A primeira voltada para as relações entre mídias e culturas da infância. A segunda para as mediações tecnológicas nos processos educacionais formais.
3. Práticas Escolares e Infâncias
Estuda o cotidiano da escola, incluindo suas atividades, organização do espaço, do tempo, as interações, documentação, avaliação, conteúdos e metodologias.
4. Políticas para a Infância
Contempla as ações políticas e legislações referentes à Educação Infantil e a infância em geral. Aborda as pesquisas e reflexões sobre a formação de professores em suas dimensões e especificidades: creches, pré-escolas, movimentos sociais, educação indígena, educação a distância e outras.
5. Infância, Inclusão e Diversidade
Contempla estudos sobre concepções, políticas e práticas com foco na infância e relacionadas às múltiplas diversidades, de modo especial, às identidades e diversidades de gênero, sexualidade, regionais, práticas sociais/culturais, relações etnorraciais e inclusão de crianças com necessidades especiais.

ENVIO DE RESUMOS -  Até 20 de junho de 2012.
Apreciação pelo Comitê Científico - Até 20 de julho de 2012.
Divulgação dos Trabalhos Aprovados - Até 21 de julho de 2012 [14:00h].
RECURSOS - Dias 21 e 22 de julho de 2012.
Resultado em 22 de julho de 2012
Envio do trabalho completo(*) - Até 31 de julho de 2012.
(*) Para publicação nos Anais em CD-Rom do evento, restrito aos resumos aprovados.
Divulgação da programação dos Trabalhos - Até 10 de agosto de 2012.
FIM DAS INSCRIÇÕES - 24 de agosto de 2012.

Normas Gerais para a Inscrição:
Por se tratar de um evento baseado em pesquisas desenvolvidas nos diferentes grupos, não serão aceitas inscrições para apresentações de trabalhos individuais, mas somente dos grupos de pesquisas.
Cada grupo poderá escrever até 4 trabalhos (formando 01 conjunto) e seus autores deverão estar devidamente inscritos no evento.
As apresentações serão realizadas em mesas compostas pelos respectivos grupos de pesquisa.
Inscrições individuais somente para participação geral no evento [ouvinte].
[Atenção] Cada Grupo de Pesquisa só poderá escrever 01 conjunto de trabalho.

Mais informações: http://www.grupeci.pro.br/